Sua Identidade

Sua Identidade

Estou louca para usar estas joias.
Elas são a representação máxima da minha identidade, do respeito às minhas crenças, dos meus
valores e das minhas escolhas.
Como sabem eu vivo navegando entre o plano físico, espiritual, energético e imaginário.
Quem convive comigo sabe que sou um ser a parte, totalmente desligado das práticas do cotidiano
social
. Fico muito sozinha, transito entre várias tribos, vivo o meu trabalho com paixão e me doo
espontaneamente para os filhos, a família e para todos aqueles que precisam de mim e que solicitam
a minha companhia.
Sou apaixonada pela vida de tal forma que vivo tão intensamente tudo que vivo, que vou a fundo
e gosto de sentir na essência.
Muitos acham cansativo, mas para mim é pura diversão.
Vivo experimentando coisas novas, conhecendo novas culturas, novos esportes, novas prática
s e novos conhecimentos.
Nesta minha incansável busca pelo bem estar máximo e a elevação espiritual, o que faço é
identificar novos conhecimentos, estudar, praticar e agregar na minha vida aquilo que sinto que
me faz bem e feliz.
Não interessa para mim se todas as pessoas praticam, se algo está na moda, ou se é chique.
A prática máxima do conhecimento é você experimentar e concluir através dos ganhos físicos,
emocionais, energéticos e mentais. Você deve estar pensando: Mas como assim?
Se não entendeu, não há o que fazer, talvez não seja a sua hora de entender o que digo aqui, mas
se tem interesse, conecte-se e permita que a realidade abra a sua frente.
Esta coleção traz combinações de laranja no mais diversos tons e texturas, cristais SWAROVSKI
nas cores Astral Pink e Padparadscha, cristal facetado e jades em uma combinação incrível com
os marrons do olho de tigre e da jasper. As pérolas trazem leveza a coleção.
Conheçam a história que inspirou esta coleção.
Les Moules
Por que um mexilhão é o símbolo máximo da identidade para mim?
Vou revelar toda a inspiração por traz desta coleção.
Quem me conhece a mais tempo sabe que um dos meus pratos preferidos é o Les Moules, mexilhões
com molho, uma comida tradicional belga e francesa.
Depois de comer por anos este prato sempre que tinha oportunidade, tive uma experiência incrível
em Ilha Grande, onde além de mergulhar para colher mexilhões pude cozinha-los a minha maneira.
Ficou uma delícia.
Comia frutos do mar eventualmente,por viver em Minas Gerais, talvez por isto adorava tanto.
Este ano estive mais perto domar e comi com mais frequência.
Mesmo achando que esta era minha comida preferida, comecei a desconfiar que frutos do ar não me
faziam muito bem. Mas não tive sensibilidade para decodificar os sinais  da minha intuição.
Em setembro logo depois de desenhar esta joia, levei a Luisa minha filha para consultar no Carlos
Beretta, professor que desenvolveu a Biotipologia Alimentar.
Durante a consulta da Luisa ele disse: Luisa, você tem que comer carne de porco para ter energia,
peixes e frutos do mar, lula, polvo é camarão. Sua mãe tem que comer carne de boi e peixes do mar
ou do rio, mas não pode comer frutos do mar.”
Entrei em choque, eu pratico a Biotipologia Alimentar desde 2014 e desde então tinha  ntendido que
podia comer frutos do mar, eu não acreditei, fiquei muda. Me recuperando do choque, falei:” – Mas
professor na minha dieta diz que posso comer frutos do mar”. Ele então me passou a mesma folha
azul de sempre com os alimentos recomendados para a dieta do biótipo Pulmonar e lá especificava
exatamente a carne de boi e peixes do mar ou do rio.
Estava me enganando há quatro anos. Como frutos do mar sempre foi minha comida  referida, minha
mente me sabotou. Lia a lista e interpretava a minha maneira.
Foi então que relembrei as sensações do organismo que tentavam me avisar que aquilo não me
fazia bem. Foi algo transformador para mim e um amadurecimento sem precedentes. Uma vivencia
para aguçar meus instintos.
Nunca mais comi frutos do mar desde então.
Quero que estas semijoias inspiradas nos mexilhões sejam um símbolo da identidade de cada pessoa,
para que cada um tenha o direito de escolher o que lhe faz bem.
Se para você vinho faz bem, tome vinho mas não tome porque é chique ou porque todos  bebem.
Cada um sabe de si.
Tenha personalidade e amor próprio para fazer somente aquilo que lhe convém.
Escolha os amigos que respeitam seus hábitos e seu jeito de ser, não faça coisas
para agradar os outros ou apenas para se sentir incluída em um grupo.
Busque pessoas que vão potencializar sua existência.
Cuide de você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat