Produção de Joias: Fundição de Metal

Antes de receberem o banho de ouro, semi-joias são fundidas no metal para a criação da “peça bruta”. O processo de fundição é, em termos básicos, o preenchimento da cavidade de um molde (com formato e medidas iguais ao da peça) com metal líquido. É o início da fabricação da peça. 

A fundição pode ser feita com os mais variados tipos de ligas metálicas, desde que apresentem propriedades adequadas (como temperatura de fusão e fluidez). No nosso caso, como já contamos antes, utilizamos o latão.

Uma forma diferenciada de fundição é a por moldagem em cera perdida. Este processo é usado para fundir ligas de alumínio, de níquel, magnésio, cobre, latão e silício, especialmente.  Os modelos usados para a confecção dos moldes, neste caso, são produzidos em  cera – o que dá o nome ao processo.

A técnica por moldagem em cera perdida ocorre da seguinte forma: primeiramente, um modelista fará uma joia que servirá de molde para fazer a forma de borracha. A partir desta, ocorrerá a produção de moldes de cera. Os moldes são levados para a injetora de cera, o que resultará em um grupo de moldes chamado de “árvore”.

As “árvores” são colocadas dentro de recipientes metálicos, onde é adicionado gesso, e levadas a um forno de alta temperatura. Lá, o gesso endurece e a cera derretida escorre para fora do molde, que, então, fica no formato da joia. Só então o metal base (em estado líquido) é injetado dentro do molde. O gesso é dissolvido em uma lavagem a jato de água, revelando as joias em sua forma bruta.

A peça, depois, é levada para o acabamento e passa por um controle de qualidade. Mas esta técnica de fundição é muito precisa, chegando até a dispensar os passos seguintes em alguns casos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat